Vale a pena ler de novo?

E ai, vale ou não a pena ler novamente aquilo que você acabou de estudar?

Marlom Andrade, aprovado em mais de 5 concursos públicos, explica o motivo e a importância das revisões nos seus estudos.

Você já teve a sensação de, em minutos, esquecer boa parte do que achou ter aprendido naquelas horas de leitura para sua prova? Pois saiba que isso não é só uma sensação.

Esse fenômeno é real e foi descrito pelo psicólogo alemão Hermann Ebbinghaus, criador da chamada Curva de Esquecimento. Fruto de extensas pesquisas sobre a memória humana, a Curva descreve como as informações recém-adquiras se perdem na nossa mente com o tempo e mostra que a maior perda acontece já na 1ª hora após a leitura, estabilizando-se depois de um dia.

A boa notícia é que o aprendizado também segue uma curva exponencial. Os pesquisadores descobriram que, ao revisar um conteúdo já estudado, as informações ficam retidas mais rápido e facilmente. A cada nova revisão, menos conteúdo é fixado, pois boa parte do assunto já havia se consolidado em nossa memória nas revisões anteriores.

O intrigante é que essas descobertas sobre o aprendizado humano foram feitas lá em meados do século XXI, mas ainda hoje há quem insista em preencher o cronograma de estudos com longos períodos de leitura e poucos horários para revisão. Um desperdício de tempo e esforço, diria Ebbinghaus.

Revisões programadas

Para favorecer a retenção dos conteúdos e garantir um bom desempenho nas provas, o importante é achar um equilíbrio entre o estudo e as revisões, de modo que as informações sejam constantemente passadas da memória de curto para a de longo prazo.

Esse equilíbrio, de acordo com Thiago Barros, coach da Trilha do concurso, pode ser mais facilmente alcançado com a utilização do Ciclo de Estudos. “O Ciclo possibilita ao estudante voltar frequentemente às diferentes matérias em um curto espaço de tempo. Além disso, ele prevê uma rotina de revisões pensada para otimizar a capacidade da nossa memória de absorver e manter o conteúdo estudado”, explica.

Na plataforma da Trilha, a frequência das revisões varia de acordo com o assunto em questão e com a disponibilidade de tempo do concurseiro. Em geral, elas ocorrem a cada 2, 7 ou 15 dias após o término de um conteúdo. Além disso, a plataforma incentiva o aluno a voltar nos temas antigos a cada 30 dias, com uma revisão geral.

Vale lembra que o Ciclo da Trilha do concurso é totalmente personalizado. Eles são montados segundo as metas, as características e os horários dos alunos. Tudo com base na análise dos conteúdos cobrados pelas bancas examinadores e nos dados que a Inteligência Artificial da plataforma observa sobre o processo de aprendizagem de cada estudante.

Agora que entendeu a importância, quer ajuda para montar um Ciclo de Estudos (e de revisões!) eficiente? Então clique aqui.

Vale a pena ler de novo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo
Trilha do Concurso