Devo entrar para um grupo de estudos?

Não existe jeito certo ou errado de estudar, mas formas que funcionam melhor para cada situação, cada estudante.

E, você, como prefere se preparar para concurso público? Já pensou em ingressar em algum grupo de estudos ou prefere trilhar seu caminho sozinho?

Os coaches apontam vantagens interessantes no estudo em equipe. Uma delas é o ganho na motivação. Naqueles dias em que estamos desanimados, especialmente depois de algum resultado não muito satisfatório, o grupo pode fazer toda a diferença.

O comprometimento com os demais evita que deixemos a peteca cair, além de proporcionar uma maior disciplina em relação aos horários e ao cronograma de estudo. Compartilhar os dramas e as pequenas vitórias do dia a dia de concurseiro com outros colegas, além dos momentos de descontração em grupo, também tornam a trajetória mais leve.

Outro ponto positivo dos grupos de estudo é a troca de conhecimento. Sempre há no time aquele que se destaca em Raciocínio Lógico, o fera em Português, o especialista em Direito Administrativo. Assim, quando surge uma dúvida, o estudante consegue rapidamente ajuda e em uma linguagem mais acessível do que a dos livros ou apostilas.

Na troca de informações com o grupo, o candidato também acaba recebendo dicas valiosas, seja sobre as bancas organizadoras, sobre métodos de estudo ou mesmo técnicas e macetes referentes às diferentes matérias cobradas em prova. Aprender com a experiência do outro é sempre enriquecedor.

Ao interagir com os demais candidatos, também fica mais fácil para o candidato identificar pontos críticos do conteúdo programático e compreender seus próprios pontos fortes e fracos. Nesse sentido, participar de comunidades mais amplas, como turmas de cursinho e grupos virtuais de concurso, também é muito válido.

Na plataforma da Trilha, por exemplo, o estudante tem acesso a rankings e relatórios comparativos com candidatos que foram aprovados nos certames. Com isso, o aluno tem uma referência mais clara daquilo que precisa ser feito para alcançar sua vaga no serviço público. Essa é uma amostra de como participar de uma comunidade, ainda que virtual, pode ser interessante.

Cuidados

Há, contudo, alguns perigos no estudo em equipe. A dispersão é o principal deles: se os estudantes não estiverem verdadeiramente comprometidos, há grande chance de perdem horas valiosos com conversas e distrações.

Outra questão é a menor flexibilidade para definir local e horário para os estudos. Compartilhando a preparação com outros colegas, o aluno também se vê obrigado às vezes a caminhar em um ritmo mais lento, por precisar se adequar à situação dos demais.

Por isso, os especialistas recomendam que os grupos de estudo tenham, no geral, um nível semelhante de aprendizado. Misturar pessoas que estão começando no universo dos concursos públicos com outras que já têm um bom tempo de estrada pode ser desastroso. O ideal também é que as equipes sejam enxutas, não ultrapassem cinco componentes.

Combinar as duas formas de estudo pode ser uma receita exitosa. Fazer as leituras e resumos sozinho e deixar a realização de exercícios para os momentos em grupo pode ser uma alternativa eficiente. Usar os encontros para esclarecer dúvidas na teoria já lida também.

Parceria constante

Independentemente de o seu estudo ser individual ou em grupo, nosso especialista Marlom Andrade vai fazer toda a diferença nos seus resultados. Ele mapeia todo o conteúdo programático e as provas dos principais concursos do país para alimentar uma plataforma única, que utiliza Inteligência Artificial para montar o plano de estudos ideal para cada estudante.

O Coach identifica as forças e fraquezas de cada aluno e aponta o melhor caminho a seguir. Quando, quanto, como e o que estudar? A Plataforma indica.

Clique aqui e experimente a Trilha por 14 dias gratuitamente.

Devo entrar para um grupo de estudos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo
Trilha do Concurso